Thursday, February 10, 2005

Mensagem 1

Ave perdida para sempre - crença
Perdida - segue a trilha que te traça
O Destino, ave negra da Desgraça,
Gêmea da Mágoa e núncia da Descrença!

Dos sonhos meus na Catedral imensa
Que nunca pouses. Lá, na névoa baça
Onde o teu vulto lúrido esvoaça,
Seja-te a vida uma agonia intensa!

Vives de crenças mortas e te nutres,
Empenhada na sanha dos abutres,
Num desespero rábido, assassino...

E hás de tombar um dia em mágoas lentas,
Negrejadas das asas lutulentas
Que te emprestar o corvo do Destino!

7 Comments:

Blogger Discretissima said...

This comment has been removed by a blog administrator.

9:52 AM, February 10, 2005  
Anonymous Anonymous said...

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

12:55 PM, March 04, 2005  
Anonymous Anonymous said...

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.
TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

12:56 PM, March 04, 2005  
Anonymous Anonymous said...

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

12:56 PM, March 04, 2005  
Anonymous Anonymous said...

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

12:56 PM, March 04, 2005  
Anonymous Anonymous said...

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

12:56 PM, March 04, 2005  
Anonymous Anonymous said...

TAMBÉM TENHO MEUS SONHOS, E QUERO RELIZA-LOS.

Antes de relatar os sonhos que gostaria de realizar, quero contar-lhes mais uma aventura, em uma noite qualquer meu esposo resolveu irmos a um motel para outra jornada de sexo com o nosso amigo, é engraçado como é fácil sair-se da rotina com um pouco de criatividade, e esta parece que não falta a meu marido e nosso grande amigo. Ao entrarmos no quarto já sabia que levaria uma surra de pau em minha bocetinha, e não só nela, meu cuzinho também seria arregaçado e muito bem comido por algum de meus dois amantes; chegava a pensar como sempre:- É hoje que saio novamente extenuada deste ninho de selvageria sexual, quando digo selvageria não é pela violência e sim porque se lá ficávamos quatro ou mais horas meu amante pouco tempo ficava sem passar-me aquele pau sempre duro e disposto a penetrar-me profundamente nas mais diversas posições.Engraçado como ele tinha uma disposição incrível para o sexo, credito isto a vida saudável aqui do interior deste nosso querido estado do Rio Grande do Sul, além é claro de não fumar, não que eu seja contra a quem fuma, mas cheguei a conclusão que realmente tira a potencia do homem, eu saía cansada mas completamente satisfeita e realizada sexualmente. Mesmo depois de um tempo ainda sentia-me tímida em sua frente pelo menos nos primeiros momentos. Então sempre ao chegar ia ao banho, era um modo de me soltar, desta vez ele entrou logo atrás e foi acariciando-me com sua calma peculiar, encheu a banheira colocou fragrâncias na água e ficou arretando-me, beijava-me a boca o pescoço e mamava em meus peitinhos, eu não agüento ser acariciada, o calor sobe e o tezão vem a flor da pele, ele pediu para ficar de quatro apoiada na beirada da banheira e alisando minhas costas cravou sem dó seu potente pau em minha gruta do amor, o vaivém violento aquecia meu útero e as paredes vaginais, ele tirava quase todo e enterrava tudo de uma vez só ficando lá no fundo a mexer para os lados, quanta delicia sentir-me preenchida por aquele caralho, sentir que aquele homem sentia prazer ao me comer.Eu sentia a cabeça cutucar meu útero e ele tirava novamente para depois enterrar tudo, quando gozou, eu me derreti toda em gozo. Ele banhou-me gentilmente e fomos para a cama e lá deitei de costas em cima dele, meu marido por cima beijava meus peitos, meu umbigo e voltava para cima para chupar meu pescoço e orelhas, nosso amigo estava com o pau todo enterrado em minha xoxota, quando vejo meu esposo abre minhas pernas e tenta enfiar junto com ele seu pau em minha bucetinha, eu no tezão que estava me abri toda e seu pau foi entrando, é uma delicia sentir-se preenchida por dois paus, quando começaram o vaivém eu não sei explicar o que senti, o prazer era demais, dois paus a bombear dentro de mim sentia o ir e vir de um e de outro, que sensação diferente e gostosa, quando inventavam algo diferente ou quando me penetravam os dois sempre gozavam juntos e desta vez gozaram juntos novamente, meu marido com tanto tezão encheu-me de uma quantidade grande de porra, mais a de nosso amigo, não tinha lugar para sair, é interessante mas quando sinto o leite jorrar dentro de mim é que vem a sensação de ser mulher receptora do agrado e do prazer do macho,meu marido bombeou mais um pouco e deixou o garanhão a estocar-me, eu não sei dizer quantas vezes havia gozado só sei que ia gozar novamente quando nosso amigo gozasse dentro de mim pois com o tezão que sentia quando ele gozasse eu iría ao prazer outra vez. Depois desta fóda em que senti muito prazer, eu sabia que eles dariam um tempo e me fariam sentir prazer novamente ao comerem meu cuzinho, virei-me de frente para o garanhão e desta vez foi meu marido quem me enrabou prazerosamente, enquanto isto ele alisava meus peitos e minha bucetinha, gozei junto com meu querido.enquanto meu marido me comeu o garanhão endureceu seu pau e ao ele me deixar livre, nosso amigo pediu-me para ficar de quatro e novamente comeu-me a bucetinha com aquele seu vaivém potente fazendo-me mulher mais uma vez.Depois de deixar satisfeitos aqueles dois homens que tanto prazer me proporcionavam, banhei-me por uns dez minutos, recuperando a energia, eles conversavam e descansavam, se pensam que meu descanso durou, que nada, o garanhão veio, continuou a banhar-me com muita meiguice, contradizendo com seu jeito rude do campo, neste dia ele me queria somente de quatro sempre por traz só que agora ele encostava a cabeça de seu pau em meu cuzinho, com carinho enterrou tudo e começou a bombar com a mesma força quando me come na frente, eu sinto um enorme prazer em dar meu cuzinho, ainda mais quando sou tratada com tanto carinho.Disse-lhes que falaria de meus sonhos, são simples, adoro flores e animais, gosto muito de viajar com meu marido, quem sabe surja algum amigo que seja livre, educado e de preferência simples como nós, eu quando sou acariciada sinto pegar fogo, havendo simpatia não pretendo viver trocando de parceiro, este amigo foi o único outro homem depois de meu marido, meu esposo acostumou-me mal, gosto muito de sexo, adoraria ter um outro amigo viril e que goste de bastante sexo, pois viciei-me em carinhos sem ser promiscua, adoro uma boa conversa de companheirismo, nos convide a passear por sua cidade, somos pequenos comerciantes em POA—RS hoje nós temos 44 e 40 anos , a natureza privilegiou-me com uma aparência jovem, quando acontecer novas aventuras com o novo amigo, tenham a certeza de escreverei, não sei quando surgirá um novo amigo mas como adorei escrever-lhes de vez em quando vou contando algumas peraltices que fizemos com este amigo, sempre preparadas por meu marido a quem tenho como amigo e companheiro. O que não quero é tornar-me repetitiva. Deixo novamente um abraço a todos os visitantes deste prazeroso site.

12:57 PM, March 04, 2005  

Post a Comment

<< Home